Announcement

Announcement Module
Collapse
No announcement yet.

Burla na compra de carro

Page Title Module
Move Remove Collapse
X
Conversation Detail Module
Collapse
  • Filtro
  • Time
  • Show
Clear All
new posts

  • Burla na compra de carro

    Dezenas de queixas por burla na compra de carro

    fonte: JN

    Um stande de Braga, já encerrado, terá burlado mais de duas dezenas de clientes que se arriscam a ficar sem carro e dinheiro. Há queixas na PSP e PJ. Alguns clientes estão a pagar dois créditos que não fizeram e nenhum tem o registo de propriedade do veículo.



    "Tenho um carro desde Agosto, que não está registado em meu nome e pelo qual estou a pagar dois empréstimos, em agências diferentes, no valor de 708 euros", disse, ao JN, uma cliente do stande "Jorge Barroso Unipessoal", em Lamaçães, Braga.
    Na passada sexta-feira, a PSP de Braga foi chamada para pôr cobro ao protesto de alguns clientes, alegadamente burlados.
    Dois apresentaram queixa na PSP, uma mulher foi à Polícia Judiciária e diversos clientes contrataram advogados para tentar resolver a situação. No total, mais de 20 pessoas que adquiriram automóveis (quase todos importados) nos últimos meses naquele local estão, aos poucos, a descobrir diversas irregularidades.
    "Recebemos queixas de pessoas que se consideram lesadas e estamos a proceder a averiguações", explicou a porta-voz da PSP de Braga. Também Rute Sousa, advogada de Jorge Barroso afirmou "a empresa não está insolvente e estamos a tentar resolver os problemas", afirmou.
    O stande está agora vazio e Jorge Barroso, o homem apontado pelos clientes como o dono do stande, não atende o telefone nem responde às solicitações dos queixosos. "Só descobri que fui enganada quando foi retirado da minha conta dinheiro para duas agências de créditos para, supostamente, pagar o meu carro", referiu a "dona" da viatura, que ainda não tem o registo de propriedade e já "cancelou as contas bancárias", para evitar novos pagamentos.
    Uma situação idêntica aconteceu a um homem de Vila Verde. "Entreguei uma carrinha em Agosto, para troca, no stande. Comprava uma nova e dava o dinheiro de entrada e o senhor Barroso liquidava o empréstimo que eu tinha da anterior", referiu.
    "Nem o empréstimo antigo foi liquidado, e eu tenho que o continuar a pagar, nem a carrinha nova é minha porque não tenho o registo de propriedade. Ao tentar resolver a situação, descobri que a carrinha, afinal, está registada em nome de uma empresa e com reserva a uma outra empresa de crédito", afirmou o lesado.
    No meio da confusão, entre os clientes há uma pergunta comum: "Como é possível fazer dois créditos, em empresas diferentes, sobre o mesmo veículo"? Sem documentos, às perguntas dos compradores o responsável pelo stande ia respondendo que o atraso se ficava a dever ao processo de legalização de carros importados. "Eu achei estranho demorar quatro meses a registar o carro mas o senhor dizia-me sempre que eram problemas na alfândega ou questões com a matrícula", salientou outra cliente.
    Esta mulher comprou o carro a pronto, pagou no acto de entrega mas ainda não tem registo de propriedade. Além disso, quase teve "um AVC" quando, há dias, lhe telefonaram de uma empresa de crédito a informar que deveria dar ordem ao seu banco para que as prestações de pagamento do carro começassem a ser pagas.
    "Nesse dia, se o vendedor me aparecesse à frente, ia acontecer uma tragédia. Então eu pago o carro e usam os meus documentos para fazer um crédito em meu nome, falsificando a minha assinatura, e eu continuo sem ter um documento onde conste que o carro é meu", diz, indignada.
    --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
    Este tipo de situações é muito frequente, no final ficamos sem dinheiro, com um carro que não pode circular e com um processo em tribunal para durar...Se o Stand for dado como insolvente perdemos tudo.
    Infelizmente esta situação também me aconteceu num Stand da zona centro, o conselho que dou é evitar comprar fora dos concessionários.

  • #2
    Eu também comprei no stand de usados e fiz questão de ter a chave na mão quando a papelada estava na minha mão e toda correcta.
    amigos.. Só se deixa levar quem quer.

    Comment


    • #3
      Originally posted by Rui Monteiro View Post
      Eu também comprei no stand de usados e fiz questão de ter a chave na mão quando a papelada estava na minha mão e toda correcta.
      amigos.. Só se deixa levar quem quer.
      Eu cai na burla! Entreguei o sinal, o dono do stand entregou-me uma guia de circulação para fazer prova face às autoridades até chegarem os documentos e trouxe o carro para casa... No máximo ao fim de um mês deveriam de me ter chegado os documento e nada, liguei com o dono do stand e começaram as desculpas... Falei com o meu advogado que pesquisou a situação da viatura e existia uma reserva de propriedade. Agora sstá na lentidão do tribunal...
      Quem quiser comprar neste tipo de stands, que faça 1.º o que eu não fiz, consulte se existe alguma reserva de propriedade sobre a viatura ou algum outro problema.
      Felizmente como me sei defender em determinado momento tive uma reunião com o responsável do stand, ele confirmou que existia uma reserva de propriedade que ele deveria de ter pago, mas que já estava a tratar de pagar para passar o carro para meu nome. Para eu ficar mais descansado pedi-lhe que me assinasse uma garantia pessoal e a validasse com um cheque pré-datado. E é isso que me vai salvar, o Stand faliu mas os bens pessoais estão a ser penhorados.

      Comment


      • #4
        Hoje em dia é preciso fazer o TPC muito bem feito e com cuidado, ao mínimo descuido zas!

        Comment


        • #5
          Originally posted by marciomota View Post
          Eu cai na burla! Entreguei o sinal, o dono do stand entregou-me uma guia de circulação para fazer prova face às autoridades até chegarem os documentos e trouxe o carro para casa... No máximo ao fim de um mês deveriam de me ter chegado os documento e nada, liguei com o dono do stand e começaram as desculpas... Falei com o meu advogado que pesquisou a situação da viatura e existia uma reserva de propriedade. Agora sstá na lentidão do tribunal...
          Quem quiser comprar neste tipo de stands, que faça 1.º o que eu não fiz, consulte se existe alguma reserva de propriedade sobre a viatura ou algum outro problema.
          Felizmente como me sei defender em determinado momento tive uma reunião com o responsável do stand, ele confirmou que existia uma reserva de propriedade que ele deveria de ter pago, mas que já estava a tratar de pagar para passar o carro para meu nome. Para eu ficar mais descansado pedi-lhe que me assinasse uma garantia pessoal e a validasse com um cheque pré-datado. E é isso que me vai salvar, o Stand faliu mas os bens pessoais estão a ser penhorados.
          Um mês passado já conseguiu resolver alguma coisa? Eu comprei carro em Agosto e também ainda não o tenho em meu nome. Sempre com a desculpa de "O carro era da Credibom, que ainda não nos enviou a papelada"..."A Credibom vai enviar os papéis dos carros todos ao mm tempo, por isso é que está a demorar..." e o tempo foi-se arrastando com as ditas guias de circulação a ser renovadas...
          Melhor: descobri no registo automóvel que foi registado em Dezembro em nome da Credibom, apesar de o carro ter sido pago a pronto em Agosto! Estou agora tipo bola de pingpong entre o stand e o departamento jurídico da Credibom.

          Se possível diga de que forma correu ou está a correr o processo. Qualquer informação poderá ser útil.
          Já agora, em que stand comprou o carro? Eu comprei em Palmeira e começo a duvidar da seriedade dos próprios funcionários do stand!

          Comment


          • #6
            Meus amigos, é só verem os documentos da viatura em questão, pois a reserva de propriedade fica registada no livrete das viaturas!
            Pelo sim pelo não, ao comprarem a crédito, façam como eu, crédito pessoal para ter dinheiro para a viatura mas NUNCA crédito automóvel, assim têm desde o primeiro minuto o carro em vosso nome e sem chatices de reservas de propriedade.

            PS: Não falo para ninguém em particular, mas os portugueses continuam a preferir andar com latas velhas com 10 anos de boas marcas do que andar com carros novos de gamas mais baixas, este tipo de "negociantes" agradece, os mecânicos também e o estado ainda mais pelo valor que se paga para legalização, portanto todo o país fica a ganhar e os estrangeiros também pois vêem-se livres da sucata que já não querem.

            Comment


            • #7
              Originally posted by Ricardo Freitas View Post
              Um mês passado já conseguiu resolver alguma coisa? Eu comprei carro em Agosto e também ainda não o tenho em meu nome. Sempre com a desculpa de "O carro era da Credibom, que ainda não nos enviou a papelada"..."A Credibom vai enviar os papéis dos carros todos ao mm tempo, por isso é que está a demorar..." e o tempo foi-se arrastando com as ditas guias de circulação a ser renovadas...
              Melhor: descobri no registo automóvel que foi registado em Dezembro em nome da Credibom, apesar de o carro ter sido pago a pronto em Agosto! Estou agora tipo bola de pingpong entre o stand e o departamento jurídico da Credibom.

              Se possível diga de que forma correu ou está a correr o processo. Qualquer informação poderá ser útil.
              Já agora, em que stand comprou o carro? Eu comprei em Palmeira e começo a duvidar da seriedade dos próprios funcionários do stand!
              Bom dia,

              Continua tudo na mesma, mas a culpa é dos tribunais, os processos entram e nunca mais de lá saem! Todos os meses falo com a advogada e a única solução é esperar. Mas também já estava preparado para isso...
              Continuo com a corolla parada na garagem, qualquer dia começo a vende-la às peças...

              Seriedade, já não há gente séria, meio mundo a tentar enganar outro meio, se no stand não me têm assinado uma declaração pessoal de execução iria ficar sem o dinheiro e sem poder circular com a carrinha...assim mais tarde ou mais cedo espero poder recuperar o dinheiro ou ficar com bens fruto da penhora...como está no nossos tribunais certamente aplica-se apenas o mais tarde e não o mais cedo

              ---------- Mensagem adicionada em 12:10 PM ---------- Mensagem anterior em 12:01 PM ----------

              Ricardo, normalmente se tudo estiver bem, no máximo ao fim de 1 mês têm os documentos em sua posse, também no seu caso algo se passa, o stand pode ter colocado o dinheiro ao bolso... Depois diga-nos o desenrolar da situação.

              Um abraço e boa sorte

              Comment


              • #8
                Originally posted by marciomota View Post
                Bom dia,

                Continua tudo na mesma, mas a culpa é dos tribunais, os processos entram e nunca mais de lá saem! Todos os meses falo com a advogada e a única solução é esperar. Mas também já estava preparado para isso...
                Continuo com a corolla parada na garagem, qualquer dia começo a vende-la às peças...

                Seriedade, já não há gente séria, meio mundo a tentar enganar outro meio, se no stand não me têm assinado uma declaração pessoal de execução iria ficar sem o dinheiro e sem poder circular com a carrinha...assim mais tarde ou mais cedo espero poder recuperar o dinheiro ou ficar com bens fruto da penhora...como está no nossos tribunais certamente aplica-se apenas o mais tarde e não o mais cedo

                ---------- Mensagem adicionada em 12:10 PM ---------- Mensagem anterior em 12:01 PM ----------

                Ricardo, normalmente se tudo estiver bem, no máximo ao fim de 1 mês têm os documentos em sua posse, também no seu caso algo se passa, o stand pode ter colocado o dinheiro ao bolso... Depois diga-nos o desenrolar da situação.

                Um abraço e boa sorte

                Viva!
                Mais um mês e nada (ou melhor, tudo!). No início de Fevereiro os advogados do stand diziam "estamos prestes a chegar a acordo, agora é só limar as últimas arestas". Não confiei, decidi ligar para o departamento jurídico da Credibom "de facto estamos a chegar a acordo, esperamos resolver a questão na próxima semana". Decidi esperar, não apresentar logo queixa.

                Passadas duas semanas, advogado do stand "os casos de crédito estão resolvidos, os prontos pagamentos já não são da nossa responsabilidade. O Jorge Barroso é que tem de pagar, mas isso será em breve".

                Esta semana, um dos (antigos) directores de vendas "não, não há casos resolvidos. Além disso fiquei "a arder" com 80.000€. O Barroso fez desaparecer o dinheiro todo, só ficou a casa penhorada".

                Hoje, a advogada da Credibom "não posso dizer nada, não tenho autorização da Credibom!" (sim, a mesma pessoa que há um mês falava!) Perguntei-lhe se podia confiar neles ou se era altura de partir para via judicial. Respondeu-me "como lhe disse, não posso falar. Mas faça o que achar melhor" (subentendi "mexa-se e rápido!!").

                Amanhã vou voltar ao advogado do Jorge Barroso e vou exigir uma data e falar com o próprio vigarista, caso contrário terei de fazer aquilo que devia ter sido feito há muito: queixa na polícia, falar com um advogado e mover um processo...Espero ir a tempo e não ficar sem carro e dinheiro (ainda foi algum, já que se trata de uma Audi A4 semi-nova).

                Como está o seu caso? E, já agora, conseguiu fazer isso andar para a frente (e como)?

                Comment


                • #9
                  Atenção meus amigos toyotistas, isto aqui em Braga é às dezenas de burlões, nas stands aqui pra cima, alguns carros foram roubados, não digo que seja pelos próprios donos dos stands, mas por intermediários. Também a troca de kms é o pão nosso de cada dia.
                  Em 2008 quando andava atrás de carro, deparei-me com casos em que, depois de pesquisar um bocado, descobria que o carro tinha o dobro dos kms. Entretanto comprei um com o livro de revisões e confirmação na toyota.
                  Ainda agora ando atrás de um ligeiro comercial e lá descobri mais umas falsidades.
                  Há que ter muito cuidado, tentar confirmar tudo antes de comprar.
                  Cumprimentos toyotistas.
                  Pascoal Costa

                  Comment


                  • #10
                    Originally posted by Ricardo Freitas View Post
                    Viva!
                    Mais um mês e nada (ou melhor, tudo!). No início de Fevereiro os advogados do stand diziam "estamos prestes a chegar a acordo, agora é só limar as últimas arestas". Não confiei, decidi ligar para o departamento jurídico da Credibom "de facto estamos a chegar a acordo, esperamos resolver a questão na próxima semana". Decidi esperar, não apresentar logo queixa.

                    Passadas duas semanas, advogado do stand "os casos de crédito estão resolvidos, os prontos pagamentos já não são da nossa responsabilidade. O Jorge Barroso é que tem de pagar, mas isso será em breve".

                    Esta semana, um dos (antigos) directores de vendas "não, não há casos resolvidos. Além disso fiquei "a arder" com 80.000€. O Barroso fez desaparecer o dinheiro todo, só ficou a casa penhorada".

                    Hoje, a advogada da Credibom "não posso dizer nada, não tenho autorização da Credibom!" (sim, a mesma pessoa que há um mês falava!) Perguntei-lhe se podia confiar neles ou se era altura de partir para via judicial. Respondeu-me "como lhe disse, não posso falar. Mas faça o que achar melhor" (subentendi "mexa-se e rápido!!").

                    Amanhã vou voltar ao advogado do Jorge Barroso e vou exigir uma data e falar com o próprio vigarista, caso contrário terei de fazer aquilo que devia ter sido feito há muito: queixa na polícia, falar com um advogado e mover um processo...Espero ir a tempo e não ficar sem carro e dinheiro (ainda foi algum, já que se trata de uma Audi A4 semi-nova).

                    Como está o seu caso? E, já agora, conseguiu fazer isso andar para a frente (e como)?
                    Não sei se não irás ficar sem carro e sem dinheiro...
                    O que me está a dar alguma esperança é o facto de terem assinado uma declaração com carácter executório em nome pessoal, básicamente com esta declaração passei a responsabilidade da empresa para os sócios que respondem com os seus bens pessoais.
                    Ontem tive notícias da advogada, um dos sócios têm todos os seus bens pessoais penhorados, o outro sócio têm bens imóveis (vivenda e terrenos) que não têm penhoras. Eram dois sócios, o que tens estes bens falou com a minha advogada e tentou chegar a acordo para pagar metade do valor que paguei e com isto encerrarmos o processo, no entanto não vou aceitar este acordo, quero que o valor me seja pago através do produto da venda pública dos bens.

                    Comment


                    • #11
                      uii com caraças o que por aqui vai.

                      Ricardo Freitas, comprou o carro em frente a umas bombas de gasolina da IM? se sim essa stand muda de dono quase todos os anos.

                      em relação ás vossas situações so espero que consigam resolver tudo pelo melhor, eu mesmo fiz uma busca bem intensiva por causa de um A3, confirmei sinistros, tentei arranjar maneira de ver os Km que ficam registados quando vai ao centro de inspecções, ... e mesmo assim andei sempre preocupado por euquanto nao recebi o novo livrete, e negócios a nivel pessoal e directo comigo é pega lá dá cá.

                      boa sorte para os dois e vao dando noticias.

                      Comment


                      • #12
                        O meu foi comprado no "BARROSOS" em Palmeira, junto à estrada nacional.
                        Falei com o advogado dele na sexta, que me disse que já conseguiram resolver os casos de carros comprados a crédito (devem receber os documentos esta semana). E, supostamente, na próxima semana os restantes casos serão também tratados (onde o meu está incluído). Não sei se tenho motivos para acreditar... Mais um problema: tenho de pagar o imposto este mês e não sei como vou tratar disso, já que, para todos os efeitos, o carro não é meu.

                        Marcio Mota, o seu carro foi comprado quando?

                        Comment


                        • #13
                          Olá Ricardo,
                          O meu carro foi comprado em 2008, espero durante este ano ver o meu caso resolvido...mas nunca se sabe, tribunais é a lentidão que se sabe...
                          Entendo que não saibas muito bem o que fazer, nestas situações nunca se sabe em quem confiar...
                          Se o carro está encostado, creio que as finanças não te enviam multa se não pagares, mas não tenho a certeza...anda sempre tudo a mudar, pagamos por tudo e por nada

                          Comment


                          • #14
                            Originally posted by marciomota View Post
                            Olá Ricardo,
                            O meu carro foi comprado em 2008, espero durante este ano ver o meu caso resolvido...mas nunca se sabe, tribunais é a lentidão que se sabe...
                            Entendo que não saibas muito bem o que fazer, nestas situações nunca se sabe em quem confiar...
                            Se o carro está encostado, creio que as finanças não te enviam multa se não pagares, mas não tenho a certeza...anda sempre tudo a mudar, pagamos por tudo e por nada

                            Eu já não sei o que é verdade ou mentira, mas vou atirar para aqui o que me disse o advogado do Barroso da primeira vez que lá fui. Aparentemente trata-se de um caso de especulação que acabou mal. O stand trabalhava com fundos da credibom (um 'plafond' de aproximadamente 400.000€), que usava para comprar carros em leilões. Ao vender um carro tinha 90 dias para liquidar. No entanto esses 90 dias eram suficientes para comprar outro carro e ganhar mais algum. Agora, algo correu mal (e ainda não consegui o quê) e a Credibom exigiu a liquidação, mas o stand estava sem dinheiro...

                            No meio disto tudo, como já disse, não sei o que é verdade. Sei que ao barulho entra ainda o banco "Primus".
                            O advogado falou-me ainda de uns casos que estavam mais complicados (tentando sugerir que o meu caso era simples) e aí referiu uns carros que estavam há muito tempo sem documentos e não sabiam quando é que os iriam ter. Disse que se tratava de carros comprados com fundos do BPN e que, por muito que tenham tentado, não conseguiram resolver nada. O banco não lhes dá a documentação (como é óbvio, deverá haver algum motivo que desconheço). Será o seu caso?

                            Comment


                            • #15
                              O meu caso é o seguinte, o carro tinha reserva de propriedade, paguei ao Stand o valor de compra acordado e com esse valor deveriam de ter pago à empresa financeira que detinha a reserva de propriedade e o restante era o lucro do Stand. O stand como andava com problemas financeiros o que fez foi ficar com o dinheiro todo, creio que com este dinheiro tentavam fazer outros negócios de viaturas para tentar ganhar mais algum e durante este tempo iam enrolando com desculpas.
                              Resultado, a reserva de propriedade da carrinha não chegou a ser paga, o stand fechou, tive de a encostar carrinha.
                              Basicamente o caso é semelhante, provavelmente com esse fundo o Stand comprava os carros e ficava a reserva de propriedade em nome da credibom, quando os vendia teria de pagar à credibom. O que o responsável do Stand deve ter feito é não declarar a venda de nenhum carro, assim não teria de pagar à Credibom, claro que a mentira têm perna curta e quando se soube de toda essa burla já deveriam de ser quantias astronomicas a pagar à empresa financeira, resultado, empresa falida.
                              Onde está o dinheiro da vendas das viaturas que seria para pagar à Credibom? Gasto em luxo e bens pessoais.
                              Não perdes nada procurar um advogado, as coisas até podem resolver-se sem advogado (tenho sérias dúvidas), mas o contrário também pode acontecer e cada dia que passa é tempo a correr contra ti...

                              Comment

                              Aguarde por favor...
                              X